Prevenção à Criminalidade

Escrito por Assessoria Parlamentar

PREVENÇÃO À CRIMINALIDADE

2017-02-22 Prevencao a Criminalidade

Tema: Importância de investimentos públicos em educação e em apoio às estruturas familiares para a prevenção da criminalidade no Brasil.

Data: 22/02/2017
Sessão: 016.3.55.O
Hora: 12:18

O SR. ANTONIO BULHÕES / PRB-SP, pronuncia o seguinte discurso:

Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, a falta de segurança é uma preocupação de todos os brasileiros. Com a onda de violência que temos observado neste ano, dentro e fora dos presídios, o medo fica ainda maior, e até o ato de sair de casa para a escola ou para o trabalho torna-se uma atividade de risco nas cidades mais atingidas pela violência.

Um contexto como esse demanda medidas urgentes, é certo. Mas não podemos deixar de pensar nas causas mais profundas desses acontecimentos. Quando os pesquisadores do assunto tentam entender o crescimento da violência no Brasil, vários problemas de nossa sociedade surgem como possíveis respostas. Entre eles, o baixo investimento em segurança pública e em ações de inteligência, a desigualdade de renda, o desemprego, a desestruturação das famílias e a baixa escolaridade.

Senhoras e senhores, quero me deter nestes dois últimos fatores. Embora não se possa falar em uma causalidade direta entre analfabetismo e criminalidade, é certo que o grande número de analfabetos e de pessoas com baixa escolaridade, incapazes de conseguir bons empregos, em nada ajuda.

Igualmente, uma pessoa que cresce em uma família desestruturada, em um ambiente sem valores morais e não tem acesso a uma boa educação acabará tendo mais dificuldades de se inserir no mercado de trabalho, de se relacionar bem com seus pares e de se manter afastado do crime.

Os governos precisam estar atentos a isso no momento de formular políticas públicas. Ao falar em segurança, não podemos nos esquecer da importância da educação e das famílias.

Manter as crianças e adolescentes na escola – e em uma boa escola! – pode ser essencial para garantir um desenvolvimento adequado, incutir valores e promover a inclusão desses meninos e meninas.

A prevenção do crime começa por aí: uma criança precisa de uma família acolhedora e de uma boa educação em casa e na escola. Isso faz toda a diferença nos caminhos que ela trilhará no futuro.

Os impactos se fazem ver em todos os âmbitos. As chances de passar por uma gravidez na adolescência, por exemplo, são muito mais altas para as jovens de baixa escolaridade. Se nada quebra esse ciclo, mais crianças terão dificuldades educacionais por não receberem o incentivo que viria de uma família com pai e mãe juntos e presentes.

Sem orientação e supervisão dos pais, muitas vezes em meio a conflitos e violência doméstica, andando com más companhias pelas ruas, sem disciplina nos estudos: é assim que muitos jovens brasileiros vivem, construindo o caminho para o crime e para apreensões e prisões que acabarão por afastá-los definitivamente dos estudos e da retidão na vida adulta.

Por isso, se é necessário diminuir a criminalidade, é igualmente necessário oferecer uma educação capaz de incutir valores morais, disciplina e cooperação, criando jovens e adultos menos suscetíveis ao crime. E essa educação, senhoras e senhores, precisa vir tanto das escolas quanto das famílias.

Muito obrigado.

ANTONIO BULHÕES
Deputado Federal / PRB-SP