O Trabalho do Idoso no Brasil

Escrito por Assessoria Parlamentar

O TRABALHO DO IDOSO NO BRASIL

2016-10-04-trabalho-do-idoso-no-brasil

Tema: Importância do trabalho do idoso para a economia do Brasil.

Data: 04/10/2016
Sessão: 240.2.55.O
Hora: 18:34

O SR. ANTONIO BULHÕES / PRB-SP, pronuncia o seguinte discurso:

Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, a valorização do idoso é importante desafio que se impõe a esta Casa. A terceira idade já não comporta ser pensada como preparação para a morte. A velhice, antes de representar decrepitude, precisa ser vista como o ápice da vida, a consagração de um processo normalmente muito conflituoso contra o qual se logrou ser vencedor.

No entanto, ser idoso deve ser motivo de orgulho não apenas por representar a superação das mazelas naturais que acometem toda vida humana, mas sobretudo por uma de suas principais consequências. A grandeza que advém da ultrapassagem desses obstáculos confere às pessoas sabedoria inigualável à de qualquer outro momento da vida.

Essa é uma realidade praticamente eterna. Algumas culturas inclusive aprenderam a reverenciá-la com muita naturalidade há bastante tempo. No Extremo Oriente, por exemplo, é muito comum que os agradecimentos religiosos homenageiem os antepassados, e a aura que os envolve raramente é a de juventude. O respeito ao precursor é, em ampla medida, motivado pelo reconhecimento de seu trabalho na construção do mundo em que se vive. A edificação, por sua vez, se vê completa apenas no fim da vida, de modo que é a imagem do idoso a que se atribui ao antepassado.

Atualmente, porém, essa concepção não pode ser vista como própria de um ou outro povo apenas. Todos nós seremos beneficiados por fazer dessa mentalidade o senso comum. Com o conhecimento em medicina já conquistado e técnicas de saneamento amplamente adotadas no mundo contemporâneo, a população vive muito mais e com maior qualidade.

De acordo com relatório da Organização Mundial de Saúde, o Brasil, por exemplo, tem 13% de sua população acima de 60 anos, número com crescimento esperado para 30% até 2050.

Ainda, já há inúmeros exemplos – que inclusive não param de se multiplicarem – de casos inspiradores de idosos altamente produtivos. Há fortes indícios de que pessoas que conseguem manter a vida saudável e praticam atividades intelectualmente estimulantes chegam à idade avançada com acuidade mental muito propícia para a realização de diversos trabalhos.

É bom ter isso em mente neste momento em que esta Casa se prepara para discutir mais uma reforma previdenciária. Políticas públicas de previdência social não são desconectadas das demais. Se lograrmos estabelecer um ordenamento jurídico capaz de gerar condições de trabalho adequadas para que os idosos se mantenham trabalhando estimulados e com salubridade, a atividade econômica deste País poderá ser muito desenvolvida.

Nesses termos, parece natural que o modo como enxergamos o idoso precisa mudar. O mundo evoluiu e a concepção de velhice precisa acompanhá-lo. Em verdade, a pessoa com idade avançada pode não apenas executar inúmeras das atividades que realizava na juventude. Algumas delas, graças à sabedoria conquistada ao longo da vida, podem fazer melhor do que quando era jovem.

Em resumo, é chegado o tempo de ativamente construirmos a imagem do idoso do século XXI, e esse será exemplo de grande capacidade e sabedoria.

Muito obrigado.

ANTONIO BULHÕES
Deputado Federal / PRB-SP