Ideologia de gênero

Escrito por Assessoria Parlamentar

IDEOLOGIA DE GÊNERO

Meus amigos, há alguns anos, tivemos que travar uma árdua batalha para barrar a distribuição do repugnante kit gay nas escolas, que, como vocês devem lembrar-se, incluía até um filme que apontava as vantagens de ser bissexual!

011-genero

“Com a recusa do então Ministro Fernando Haddad e o risco que o futuro da família brasileira estava correndo, a Frente Parlamentar Evangélica recorreu à Presidente Dilma Rousseff, que ordenou a imediata interrupção do fornecimento do kit às escolas.”

Nós, que somos membros da Frente Parlamentar Evangélica do Congresso Nacional, fizemos um apelo veemente ao então Ministro da Educação, Senhor Fernando Haddad, atual prefeito de São Paulo, para que fosse suspensa a distribuição desse kit tão obsceno. Lamentavelmente, não obtivemos sucesso.

Diante da recusa do Ministro e do risco que o futuro da família brasileira estava correndo, chegamos a recorrer à própria Presidente Dilma Rousseff, que, para o nosso alívio, ordenou a imediata interrupção do fornecimento do kit às escolas.

A militância gay, no entanto, não se intimidou com a derrota e investiu pesado na introdução da ideologia de gênero no Plano Nacional de Ensino, que estabeleceria as metas nas escolas nos dez anos de sua vigência.

Por meio dessa ideologia, as crianças seriam ensinadas a simplesmente ignorar o sexo biológico e a escolher o gênero que quisessem. Elas também seriam incentivadas a fazer a opção sexual que lhes conviessem! O que queriam fazer com os nossos filhos era realmente um absurdo!

“A ideologia de gênero está fora do Plano Nacional de Educação, mas continua na ´pedagogia liberal` com o obstinado objetivo de se intrometer em uma área da educação cuja responsabilidade é dos pais.”

Talvez muitos de vocês não saibam, mas as discussões, no Congresso, foram bastante acaloradas. Travamos uma verdadeira guerra de ideias. Não foram raras as vezes que fomos até insultados, mas isso não nos intimidou de forma alguma. Conseguimos, por fim, retirar do PNE essa maldita ideologia de gênero!

Agora, a militância gay, que nada conseguiu aqui, na esfera federal, está distribuindo, em nome de uma dita pedagogia liberal, livros que incentivam práticas sexuais diversas, como as autoeróticas, heterossexuais e homossexuais! Em uma dessas publicações existe, inclusive, o absurdo alerta para que o livro seja mantido longe do alcance dos pais! Essa é uma atitude muito covarde, porque nessa recomendação está embutida a intenção de dificultar a percepção dos pais quanto à mudança de comportamento de seus filhos.

Percebe-se, com isso, que há um movimento repetitivo e obstinado de se intrometer em uma área da educação cuja responsabilidade é dos pais. O resultado dessas ações é totalmente previsível: a indesejável erotização precoce!

Tendo conhecimento da insistência desses ideólogos, é preciso que as famílias sempre verifiquem quais livros são distribuídos aos filhos e se o conteúdo dessas publicações são compatíveis com os valores familiares.

É preciso, também, que as pessoas não se omitam e denunciem, inclusive, professores que tentarem confundir a cabeça das crianças, principalmente no tocante à identidade delas.

Antonio Bulhões
Deputado Federal / PRB-SP

Versão em PDF