Elevado número de policiais assassinados

Escrito por Assessoria Parlamentar

ELEVADO NÚMERO DE POLICIAIS ASSASSINADOS

2017-09-19 Elevado Número de Policiais Assasinados

Tema: Recrudescimento da violência e dos homicídios no País. Elevado número de policiais assassinados no Estado do Rio de Janeiro.

Data: 19/09/2017
Sessão: 260.3.55.O
Hora: 16:14

O SR. ANTONIO BULHÕES / PRB-SP, pronuncia o seguinte discurso:

Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, a população brasileira está alarmada, amedrontada e encarcerada dentro de suas próprias casas, em virtude da ação criminosa que se multiplica e se alastra por todos os Estados do Brasil.

Este é, se não o mais grave, um dos mais graves problemas do nosso País, que vive uma situação próxima a de uma guerra civil.

Isto, prezados senhores, não é um mero recurso retórico, uma hipérbole vazia. Não! Analisemos os números da segurança pública para apreendermos a dimensão e a severidade de nossa condição.

O mais recente Anuário Brasileiro de Segurança Pública delineia o trágico quadro nacional. Em 2015, foram registradas quase 60 mil mortes violentas no País, número que inclui homicídio, latrocínio, lesão corporal seguida de morte e óbito decorrente de intervenções policiais.

No período que vai de 2011 a 2015, o Brasil sofreu mais mortes do que sofreu a Síria, envolta por uma sangrenta e duradoura guerra civil.

De acordo com as estatísticas compiladas pelo Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime, é o Brasil uma das quinze nações mais violentas do mundo, considerando-se a taxa de homicídios por 100 mil habitantes.

Nós Parlamentares, que estamos em contato permanente com nossos representados, com o povo de nossos Estados, conhecemos o drama das famílias que tiveram mortes violentas de seus entes queridos.

A população brasileira não tem confiança de sair à rua, de ir ao trabalho, de viver suas vidas normalmente. A mesma publicação anteriormente citada revelou que 76% dos brasileiros têm medo de morrer assassinados. A vida dos brasileiros é cerceada, limitada, restringida por causa da ação de bandidos.

Os agentes de segurança no Brasil – e aqui incluo os policiais civis e militares, os policiais federais e rodoviários federais, os agentes penitenciários – são verdadeiros heróis, que se colocam na linha de frente nessa batalha, protegendo a sociedade brasileira, a família brasileira, as pessoas de bem deste País, sujeitos a todo tipo de adversidades.
Neste ano, Sr. Presidente, mais de cem policiais foram covardemente assassinados no Rio de Janeiro. Há uma matança generalizada de policiais naquele Estado, tão amado pelos brasileiros e que é a porta de entrada do Brasil para o turismo internacional.

A despeito da incansável lide dos policiais, vemos alguns meios de comunicação alimentam uma extrema má vontade, uma hostilidade em relação aos policias brasileiros, enquanto demonstram uma enorme benevolência e condescendência com criminosos.

Faço um apelo a essas pessoas para que tentem se colocar na farda e coturnos desses valorosos homens e mulheres policiais, cuja missão diária, repito, diária, é expor-se ao perigo, é enfrentar facínoras, muitas vezes munidos de armas e equipamentos superiores ao seus e que têm a viva intenção de lhes tirar a vida.

Mesmo em face dessa pressão diuturna, ainda que sujeitos a críticas acerbas e injustas, não haja dúvida de que os policiais brasileiros acordarão amanhã firmes, resolutos e determinados em transformar este nosso Brasil, adargar nossa população e manter a ordem e a paz.

Era o que tinha a dizer, Sr. Presidente.

Muito obrigado.

ANTONIO BULHÕES
Deputado Federal / PRB-SP