Dia Internacional da Mulher

Escrito por Assessoria Parlamentar

DIA INTERNACIONAL DA MULHER

Tema: Transcurso do Dia Internacional da Mulher. Necessidade de superação da cultura de violência contra a mulher, especialmente no Brasil.

2016-03-10 Dia Internacional da Mulher

Data: 10/03/2016
Sessão: 033.2.55.O
Hora: 11:10

O SR. ANTONIO BULHÕES / PRB-SP, pronuncia o seguinte discurso:

Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, o Dia Internacional da Mulher, 8 de março, convida-nos a todos a uma reflexão sobre a condição das mulheres no Brasil e no mundo.

Esta avaliação produz um sentimento misto de alegria e de tristeza. Por um lado, é inegável que nos últimos séculos, especialmente no século XX, a valorização da igualdade entre homens e mulheres ganhou impulso extraordinário, sobretudo nas sociedades ocidentais. Por outro lado, é difícil conter a revolta diante da constatação de que em pleno terceiro milênio ainda existem regiões do planeta onde as mulheres são apedrejadas, queimadas, mutiladas ou violadas, com conivência da sociedade e das autoridades civis.

Essa ambiguidade está presente mesmo quando restringimos nossa análise ao Brasil, País em geral distante das culturas mais violentas contra as mulheres. Costumes abjetos, como mutilação genital feminina praticada entre alguns povos da África, do Médio Oriente e de partes da Ásia, jamais se instalaram entre nós. Contudo, ainda que a salvo dessas barbáries, as brasileiras ainda se veem expostas à violência em razão do seu gênero.

Mais de 47 mil estupros foram registrados no Brasil em 2014, segundo o Anuário Brasileiro de Segurança Pública. Já o Mapa da Violência contabilizou que, dos 4,8 mil homicídios de mulheres em 2013, um terço foi de autoria de parceiro ou de ex-parceiro da vítima. Esses dados mostram que muitos homens no Brasil veem, sim, o corpo da mulher como objeto sob seu domínio.

Mesmo que tais ofensas à segurança e à integridade femininas fossem eliminadas, ainda haveria muitos outros obstáculos a ser superados até a plena realização do princípio da igualdade de sexos. Atualmente, as mulheres estão em desvantagem no que diz respeito a salários, oportunidades de carreira, representação política.

O Dia Internacional da Mulher é a ocasião adequada para lembrar todos os desafios que as mulheres ainda enfrentam, assim como os que já superaram. O respeito aos direitos das mulheres beneficia não só cada uma delas, mas toda a humanidade. A espécie humana inclui homens e mulheres, e é improvável que atinjamos nossas máximas potencialidades enquanto metade da humanidade for continuamente tolhida por discriminações e violências.

O equilíbrio entre o masculino e o feminino é benfazejo ao tecido social. Numa família, arranjo fundamental da sociedade, não existem apenas pais, filhos e irmãos. Existem mães, filhas, irmãs. Todos desempenham papel importantíssimo na convivência e na formação de cada novo cidadão. Fora do âmbito familiar, é preciso, do mesmo modo, ver tanto os cidadãos como as cidadãs. As especificidades de cada gênero só enriquecem a vida coletiva.

Por enquanto, tal equilíbrio ainda não foi plenamente realizado em nenhum lugar. Mas, desde que o busquemos, estaremos no caminho certo.

Às mulheres que fizeram e fazem parte da minha vida, e a todas as brasileiras, mães, trabalhadoras, empresárias, cientistas ou quem quer que seja, que contribuem para a felicidade e a prosperidade da nossa Nação, desejo, com toda gratidão e respeito, um feliz Dia Internacional da Mulher.

Muito obrigado.

Sala das Sessões,

ANTONIO BULHÕES
Deputado Federal / PRB-SP