Dez Mandamento, o Filme

Escrito por Assessoria Parlamentar

DEZ MANDAMENTOS, O FILME

Tema: Regozijo com o sucesso de público do filme Os Dez Mandamentos. Congratulação à equipe realizadora da telenovela homônima exibida pela Rede Record de Televisão.

2016-02-04 Dez Mandamentos o Filme

Data: 04/02/2016
Sessão: 004.2.55.O
Hora: 15:18

O SR. ANTONIO BULHÕES / PRB-SP, pronuncia o seguinte discurso:

Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, venho a esta tribuna para comemorar, após 1 semana do seu lançamento, o grande sucesso do filme Os Dez Mandamentos. Isso já era esperado. Somente a pré-venda do filme quebrou recordes extraordinários, se comparada com a bilheteria de vários filmes das indústrias cinematográficas brasileira e internacional.

O sucesso desse filme me leva também a parabenizar todos os que estiveram por detrás da novela exibida pela Rede Record de Televisão, a novela Os Dez Mandamentos. Quero, de forma especial e carinhosa, parabenizar a Diretora de Conteúdo, Cristiane Cardoso, que, num feito histórico, conseguiu condensar os mais de 170 capítulos da novela em um filme de 2 horas. De forma dinâmica e envolvente, o filme passou inúmeras mensagens aos seus espectadores.

As salas estiveram lotadas. Acreditamos que também nos dias que estão por vir uma grande multidão assistirá ao filme.

Embora não tenha caráter religioso, o filme Os Dez Mandamentos retrata a saga do povo hebreu. Esse povo, após 400 anos de escravidão – uma geração nascida com os pés na lama, que amassou o barro e o misturou à palha, para fazer os blocos que iriam construir os grandes monumentos faraônicos -, não suportando mais a tirania dos faraós, clamou ao Deus dos seus pais. E Deus prontamente levantou Moisés. E Moisés, com mão forte e o poder de Deus, fez com que o faraó se curvasse, após as dez pragas, e libertasse o povo da tirania egípcia.

Conforme retrata o filme Os Dez Mandamentos, de forma maravilhosa e espetacular, esse povo passou a pés enxutos na abertura do Mar Vermelho, o mesmo mar onde pereceu o exército do faraó.

O filme mostra que, 3 meses após a saída do Egito, Deus estabeleceu com seu povo uma aliança, em que Deus requeria do povo tão somente obediência. E o povo disse a Moisés: “Tudo o que o Senhor mandar, nós faremos”. Deus, então, deu a Moisés as tábuas com os Dez Mandamentos, para que os repassasse ao povo. E assim, há inúmeras fases no filme. As pessoas, com certeza, entram e saem de forma diferente do cinema.

Por isso, estou aqui nesta tribuna convidando todos os Deputados e Deputadas e seus assessores a assistirem ao filme, principalmente agora, neste feriado de carnaval. Levem sua família. Certamente, algo de extraordinário acontecerá, na esfera espiritual, no interior de cada pessoa.

Eu, particularmente, que já assisti ao filme várias vezes – assisti não só na estreia, mas outras vezes -, fiquei impactado e gostaria de compartilhar com todos a mensagem que ficou gravada em meu interior. Eu pude constatar que Moisés, que durante 40 anos pensou ser alguém, por ser filho da filha do faraó, um Príncipe do Egito, quando teve que fugir do Egito, durante 40 anos, viu que não era ninguém. Ele se tornou tão somente pastor das cabras do seu sogro Jetro. E quando Deus apareceu para Moisés na sarça ardente, Moisés pôde ver o que Deus é capaz de fazer, durante 40 anos, através de um ninguém.

Sr. Presidente, minhas amigas Deputadas, meus amigos Deputados, eu quero lhes fazer este convite para que todos assistam ao filme Os Dez Mandamentos já na sua primeira semana. Com certeza, ele há de ser um sucesso absoluto em todo o território brasileiro.

Muito obrigado.

Sala das Sessões,

ANTONIO BULHÕES
Deputado Federal / PRB-SP