Celular ao volante

Escrito por Assessoria Parlamentar

O USO DO CELULAR AO VOLANTE

Em outubro, a psicóloga Andréia Matos Lima, 33 anos, morreu na Avenida das Nações, em Brasília, após perder o controle da direção do veículo que conduzia.

Antes de parar completamente, o veículo percorreu cerca de 500 metros. Essa é mais uma tragédia que se abate sobre uma família inteira em decorrência de um acidente de trânsito. E supõe-se que a causa do acidente tenha sido uma troca de mensagens por meio do aplicativo WhatsApp.

040celular

O uso do celular ao volante é considerado, atualmente, a principal causa de distração no trânsito. E, sem dúvida, o número elevado de acidentes nessas circunstâncias tão somente reforça essa tese.

De acordo com uma pesquisa feita nos Estados Unidos, o motorista, quando atende uma ligação, olha uma mensagem de texto ou simplesmente dá atenção ao telefone mesmo no viva-voz, aumenta em 400% a probabilidade de se envolver em um acidente.

É preciso, com efeito, fazer algo mais do que as recentes mudanças no Código de Trânsito Brasileiro. É preciso proceder a uma série de medidas, campanhas intensas e mudanças profundas e definitivas no comportamento dos motoristas.

O Brasil ocupa o 4º lugar em número absoluto de mortes no trânsito, mais de 43 mil em 2013, ficando atrás apenas da China, Índia e Nigéria. Conforme dados do Ministério da Saúde, o trânsito mata cinco pessoas a cada hora.

Vale notar que, apesar de todas as evidências sobre o risco de acidentes em decorrência da utilização de aparelhos celulares ao volante, falta aos motoristas no Brasil a exata noção acerca do perigo a que se expõem. Assim, colocam em risco não só a própria vida, mas a de outras pessoas também.

Constitui, enfim, responsabilidade de todos mudar essa realidade, concorrendo ativamente para reduzir o número de acidentes e mortes no trânsito.

Não se trata de papel apenas do governo e dos órgãos e autoridades de trânsito, mas depende, principalmente, da consciência e da mudança de atitude dos próprios motoristas.

Antonio Bulhões
Deputado Federal / PRB-SP

Versão em PDF